sábado, 25 de junho de 2011

Jeronymo Pedro Villas Boas e a questão do casamento gay

O juiz que trabalhou visando cancelar a casamento gay em cartório de Goiânia é um pastor da Assembleia de Deus.

O magistrado veio à cidade de São Paulo, na tarde de quinta-feira, 23 de junho, acompanhado do senador Magno Malta. Ambos compareceram na Marcha Para Jesus, evento que segundo a Polícia Militar ultrapassou a marca de 1 milhão e meio de pessoas. Villas Boas recebeu apoio de parlamentares evangélicos e de lideranças evangélicas importantes... Se quiser, poderá transformar-se em mais uma eminência política a defender a família em parlamentos do Brasil. Talvez como senador, ou deputado federal, ou estadual ou vereador.

Magno Malta, criticando o Supremo Tribunal Federal bradou: "Para nós, os crentes, Supremo é Deus!" E a multidão o aplaudiu. Neste momento, o juiz Jeronymo Pedro Villas Boas estava ao lado dele.

E diante desse quadro, já surgiram até ativistas homossexuais de Portugal a me interpelar. A tal pessoa disse que o magistrado é poleiro... Esse lusitanismo é expressão que acusa uma pessoa de ser interesseira.

Eu penso diferente. É uma oportunidade que interessa. Coisa parecida, mas jamais igual.

É aquela questão de escolher a pessoa que se candidata prometendo se engajar e fazer ou votar em outra que já está engajada na causa e fazendo. Jerônymo Pedro Villas Boas mostrou que é alguém de pulso firme, e é isso que os cristãos, evangélicos e católicos, procuram.

Casamento homossexual: de que lado você está?

Essa questão passa pela interpretação da Bíblia Sagrada.

Do lado esquerdo estão aqueles que fazem interpretações liberais das Escrituras, juntos com os que detestam as Escrituras e todas as religiões. E do lado direito estão todos os que defendem sua fé e amor aos Textos Sagrados.

O cerne de tudo isso é que a Palavra de Deus criou a figura do casamento, sendo a composição dele um macho para uma fêmea. Não foram feitos casais macho com macho e fêmea com fêmea.

Esse pessoal que é contra a figura bíblica do matrimônio não conhece a Bíblia Sagrada com o grau de conhecimento que deveriam. Se eles procurassem ter ao menos alguma noção do hebraico, saberiam que a etimologia do nome Eva (hayyã), a primeira mulher, remetido ao idioma original do Antigo Testamento, é "vida" / "com vida". E o nome Adão ('ãdhãm) é "humanidade".

Ora, parece uma declaração sensacionalista, mas é verdade: a tendência do casamento que não é a união de um homem com uma mulher leva a humanidade para a morte.

E ao falar em morrer - antes que os homossexuais digam que sou homofóbico - esclareço que não estou incitando nenhuma espécie de violência. Remeto-me outra vez à etimologia bíblica: morte significa "separação" (Gênesis 2.17; Romanos 5.14). Em grego: "thanatos" , derivação de "thnḗskō", que por seguinte denota e conota tanto a morte física quanto a espiritual; representa a separação da vida (salvação) de Deus no porvir.

O casamento gay é a separação conjugal do homem com a mulher, é a separação do ser humano com Deus.

E.A.G.

Fonte: Eliseu Antonio Gomes
http://www.ubeblogs.net/
por Eliseu Antonio Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário