sábado, 25 de junho de 2011

Nota sobre a matéria: Em torno da causa gay

Depois de tantas pressões que vem de todos os lados bombardeando as midias tendenciosas, começamos a ver que algumas agora estão começando a mostrar a verdade, atribuir qualquer assinato de pessoas homossexuais, e simples, mas saber o real motivo que levou a esses assassinatos é outra historia, por que a ong da Bahia não mostra os motivos, será que foi só por discriminação?

Como o Jornalista Ruy Fabiano Relata, se for levar em consideração isso, então teríamos muitos assassinatos heterossexuais veja o trecho que ele afirma isso, Ruy Fabiano " A premissa não se sustenta estatisticamente. Os números, comparativamente aos casos gerais de homicídios anuais no país – cerca de 50 mil! —, são irrelevantes. Segundo o Grupo Gay da Bahia, de 1980 a 2009, foram documentados 3.196 homicídios de homossexuais no Brasil, média de 110 por ano. Mais: não se sabe se essas pessoas foram mortas por essa razão específica ou se o crime se deu entre elas próprias, por razões passionais, ou pelas razões gerais que vitimam os outros 49 mil e tantos infelizes, vítimas do surto de insegurança que abala há décadas o país. Se a lógica for a dos números, então o que há é o contrário: um surto de heterofobia, já que a quase totalidade dos assassinatos se dá contra pessoas de conduta hétero".

Sendo assim senhores, concordo com o Senhor Ruy Fabiano, do Blog do Noblat, mas ainda há muito a se esclarecer, como por exemplo. Quanto o governo federal investe na parada gay?, quantos que o governo gastou com o KIT Gay?, Por que a mídia secular sempre diminui o numero de evangélicos presentes nos eventos organizados por esse grupo?, por que aumenta o números de pessoas que participam da Parada Gay? O que leva o STF a invadir o espaço do legislativo?, sendo que a prerrogativa que eles usaram não são a deles mas sim a do Congresso Nacional, que é a de legislar.
Por que querem aprovar um projeto que tira nossa liberdade de expressão e vai contra a Constituuição Federal?

Ficam essas perguntas no Ar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário