terça-feira, 19 de novembro de 2013

Pelo arquivamento do PLC 122, a lei da tirania gay!


Julio Severo
O CitizenGo acaba de lançar um abaixo-assinado contra o PLC 122. Para assinar, vá a este link: http://bit.ly/1andpYP
Entenda por que você precisa agir de todas as formas possíveis contra o PLC 122.
O PLC 122/2006, projeto originário das entranhas do PT para criminalizar a chamada “homofobia” (que inclui opiniões contrárias às práticas homossexuais) tem sido barrado no Senado desde 2006, por conta da oposição da população e dos eleitores às suas medidas radicais de concederem privilégios legais e sociais para praticantes dos homossexualismo e punições rigorosas para os discordantes. Para eliminar as barreiras para sua aprovação no Senado, o senador petista Paulo Paim removeu, em seu substitutivo recente, as punições e o termo “homofobia.” Em vez disso, ele reforçou os termos “orientação sexual” e “identidade de gênero.” Se esses dois termos forem legalmente aprovados, os papéis sexuais tradicionais de homem e mulher deixarão de ser padrão para entrar na categoria de “opressões” contra as novas e inventadas categorias, como homossexualidade, bissexualidade, transexualidade e outras. Essas novas categorias estarão legalmente “normalizadas” e protegidas pela aprovação do PLC 122. Com isso, kits gays, bissexuais, transexuais e outros serão obrigatórios nas escolas. Assista a este excelente vídeo:http://youtu.be/wWrCOLyi9qE

Com a aprovação do PLC 122 no Senado, o que acontece? O projeto volta para a Câmara dos Deputados, onde os deputados, em grande parte controlados pelo PT, podem manter as modificações feitas no Senado ou rejeitá-las. Se as rejeitarem, o PLC 122 volta ao seu estado original (veja este vídeo: http://youtu.be/jIOOE0n2V5g) cheio de ameaças e punições e pode seguir diretamente para a aprovação da presidente Dilma Rousseff. Para deter o avanço dessa ameaça, você precisa fazer contato imediato com seus senadores. Para ajudá-lo, temos emais de todos os senadores. Consulte este link: http://bit.ly/19sHAsY

Nenhum comentário:

Postar um comentário